Guia de Práticas Ágeis do PMI

O PMI® e a Agile Alliance® uniram forças para criar um guia de práticas ágeis com a intenção de desenvolver uma maior compreensão das práticas ágeis, com ênfase na forma como a Agile se relaciona com a comunidade de gerenciamento de projetos. Leia uma prévia do que os leitores podem esperar encontrar no Agile Practice Guide .

O PMI já lançou a 6ª edição do Guia PMBOK®. As mudanças para esta edição incluem um apêndice e informações sobre métodos ágeis para cada uma das áreas de conhecimento.

Para quem busca uma cobertura ágil adicional, o PMI, em parceria com a Agile Alliance, está também publicando um guia de práticas ágeis (ao qual o novo Guia PMBOK® faz referência), o Agile Practice Guide.

O Agile Practice Guide foi desenvolvido como um recurso para entender, avaliar e usar abordagens ágeis e híbridas ágeis. Este guia de prática fornece orientação sobre quando, onde e como aplicar abordagens ágeis e fornece ferramentas práticas para profissionais e organizações que desejam aumentar a agilidade.

 A seguir vou apresentar detalhes do guia.

A quem se destina

Este livro é dedicado a profissionais de projetos que estão implementando métodos ágeis (frequentemente em ambientes tradicionais) e tem como objetivo fornecer orientação prática adicional.

Descrição da mentalidade ágil

Para definir o contexto certo, o guia começa por apresentar a mentalidade, os valores e os princípios do Manifesto Ágil. A abertura também abrange os conceitos de trabalho definível e de alta incerteza e a correlação entre métodos Lean, Kanban e abordagens Agile.

Análise profunda da seleção do ciclo de vida

Para os gerentes de projetos o aspecto mais visível das abordagens Agile é sem dúvida o ciclo de vida. Vários ciclos de vida são discutidos no guia, juntamente com filtros de adequação, diretrizes de adaptação e combinações comuns de abordagens. Este tópico destina-se a mostrar o que é e não é a entrega ágil e induz a pensar sobre quando esta é apropriada.

Sugestões para criar um ambiente ágil

Existem vários fatores críticos a serem considerados ao criar um ambiente ágil, como o conceito do líder servidor e a composição da equipe. Esses fatores são explorados em profundidade.

Recomendações para entregar em um ambiente ágil

O guia orienta sobre como organizar a equipe e equipá-la com práticas comuns para fornecer valor em uma base regular. São fornecidos exemplos de medidas empíricas para a equipe e para reportar posição.

São exploradas considerações organizacionais para a agilidade do projeto

Todo o projeto é influenciado fortemente pelo contexto da organização. O guia explora os fatores organizacionais que afetam o uso de práticas ágeis, como cultura, prontidão, práticas de negócios e o papel do Escritório de Gerenciamento de Projetos.

Chamada para ação

O guia encerra com um apelo à ação solicitando retorno dos leitores para a melhoria contínua do guia de prática em suas próximas edições.

Anexos

O guia tem um pouco mais para cobrir. Informações essenciais que são muito volumosas estão localizadas em três anexos logo após o texto principal.

Mapeamento com o Guia PMBOK®

Para ajudar aqueles que têm uma formação tradicional na transição do gerenciamento de projetos para uma mentalidade ágil, é apresentado um mapeamento de conceitos ágeis para os Grupos de Processo de Gerenciamento de Projetos e Áreas de Conhecimento definidos no Guia PMBOK® Sexta Edição.

O mapeamento descreve como as abordagens híbridas e ágeis abordam os atributos descritos nas Áreas de conhecimento do Guia PMBOK®. Abrange o que permanece o mesmo e o que pode ser diferente, juntamente com algumas diretrizes a serem consideradas para aumentar a probabilidade de sucesso.

Mapeamento do Manifesto Ágil

É indicado onde as quatro declarações de valor do Manifesto Ágil e os doze princípios subjacentes são abordados no guia.

Visão Geral de Agile e Lean Frameworks

Para ilustrar as várias maneiras de ser ágil, o guia descreve algumas das abordagens ágeis mais utilizadas, como Scrum, eXtreme Programming (XP), Kanban, Scrumban, Development-Driven Development (FDD), Dynamic Systems Development Method ( DSDM), Agile Unified Process (AUP), Scrum of Scrums, Scale Agile Framework, Scal Scale, Enterprise Scrum e Disciplined Agile.

Apêndices

Outras informações úteis que complementam o guia de prática estão em três apêndices:

Apêndice X1 – Colaboradores e revisores

Lista as pessoas que criaram e melhoraram o guia de prática.

Apêndice X2 – Atributos que influenciam a adaptação

Este apêndice fornece orientação de alto nível sobre quando e como adaptar abordagens ágeis. Ele pode ser usado para determinar circunstâncias que possam justificar mudanças ou introdução de novas técnicas e, em seguida, oferece algumas recomendações a serem consideradas.

Apêndice X3 – Ferramentas de filtro de adequação ágil

Propõe um modelo para avaliar a adequação das abordagens ágeis, híbridas e preditivas. Destina-se a ajudar as pessoas a encontrar o ponto de encontro com sua iniciativa atual.

Referências, Bibliografia e Glossário

A seção de referências lista os padrões e outras publicações fundamentais oficiais citadas.

A bibliografia é categorizada pela seção de guia de prática, indicando recursos de conhecimento adicionais que fornecem informações detalhadas sobre tópicos abordados no guia. Aqui você encontrará indicações para livros, blogs, vídeos, gráficos e outras orientações úteis que você pode considerar para um estudo mais aprofundado.

O glossário é uma lista de termos e suas definições usadas no guia e que são específicas da mentalidade ágil.

Credibilidade

A colaboração entre a Agile Alliance e o PMI traz credibilidade à publicação. Por um lado mantém uma mentalidade ágil. Por outro lado o guia está alinhado com os demais padrões e termos do PMI. Claro que os “agilistas” provavelmente vão achar que o guia dá muita ênfase às abordagens híbridas e os “tradicionalistas” vão achar que a abordagem de planejamento tradicional está sendo desmerecida.

Onde encontrar

O novo Guia Prático Agile está disponível como download gratuito para membros da Agile Alliance e membros do PMI, para aquisição em PDF e estará disponível para comprar em papel em outubro de 2017.

Abraços.

Mauro Sotille

Especialista em gerenciamento de projetos, programas, PMO e riscos. Com 25 anos de experiência em gerenciamento de projetos, foi responsável por mais de 50 projetos em diversos países. Atuou em empresas como Hewlett-Packard, Saab Sweden e Dana. É Diretor da PM Tech, onde fornece capacitação profissional e consultoria a organizações na implantação bem-sucedida de cultura corporativa de Projetos. Foi Mentor do Project Management Institute (PMI) para o Brasil, Presidente do PMI-RS e membro da equipe que desenvolveu o Guia PMBOK® e outros guias. Certificado pelo PMI como Project Management Professional (PMP) desde 1998, Risk Management Professional (PMI-RMP) e PMO-CC, é autor de livros sobre Gerenciamento de Projetos, Escritórios de Projetos (PMO) e Certificação PMP. Doutorando em Administração de Empresas, possui MBA em Administração, pós-graduação em Computação e graduação em Informática e em Engenharia Mecânica. É professor convidado junto à Fundação Getúlio Vargas e outras instituições.

Siga-me: TwitterFacebookLinkedInPinterestGoogle PlusFlickr

Artigos Relacionados

3 comentários para Guia de Práticas Ágeis do PMI

Deixe um comentário

Você pode usar estes tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>