Futuro

É comum acompanharmos a publicação de previsões sobre as principais tendências em gerenciamento de projetos para o ano seguinte. Resolvi, então, fazer um pouco diferente: Listei 10 previsões que se concretizaram e influenciaram o gerenciamento de projetos no Brasil em 2015. Veja a seguir.

  1. Maior foco em colaboração – Conforme o acesso à informação em qualquer lugar começou a se popularizar, as organizações partiram atrás de melhores ferramentas de colaboração visando fornecer resultados competitivos às demandas de seus clientes.

  2. Mobilidade – O aumento do uso da tecnologia móvel e dos smartphones tem impactado as atividades diárias nos projetos. As informações estão disponíveis em plataformas móveis, o que mantém os clientes e as equipes constantemente atualizados. E, quer se goste ou não, o treinamento virtual vem sendo cada vez mais adotado.

  3. Aumento do uso dos métodos ágeis – O uso dos métodos ágeis (ou híbridos) em projetos continua crescendo no Brasil, capturando a atenção de organizações de fora da área de Tecnologia da Informação. Cada vez mais os Escritórios de Projetos buscam integrar métodos ágeis (principalmente SCRUM) em suas metodologias.

  4. Projetos se tornando mais “sociais” – As empresas continuam a adotar as mídias sociais móveis e ágeis e o gerenciamento de projetos também surfa nessa onda. Com o aumento da popularidade dessas mídias, as demandas dos clientes aumentaram e estes esperam mais transparência e respostas mais rápidas. É interessante notar o declínio do uso do e-mail, o qual vem sendo substituído por outras formas de comunicação, como instant messengers, VoIP, WhatsApp e Twitter.

  5. Escritórios de Projetos (PMOs) em mais organizações – Como as ferramentas de gerenciamento de projetos são cada vez mais acessíveis, mais organizações estão adotando abordagens formais para seus projetos e essa projetização passa a demandar uma profissionalização dos Escritórios de Projetos para garantir o sucesso dos projetos que estes apoiam.

  6. Riscos levados a sério – As ameaças e oportunidades que cercam um projeto passaram a ser consideradas fundamentais tanto na análise de viabilidade quanto no planejamento dos empreendimentos brasileiros. Em países mais maduros em GP essa visão já está consolidada e o esforço agora é conhecer riscos ligados à cultura organizacional.

  7. Terceirização da gestão – Com a crise econômica e com as organizações centradas em projetos mais maduros, o ambiente competitivo passou a exigir melhor utilização das equipes de projetos, visando sustentar a rentabilidade. Além disso, prazos mais curtos passaram a pedir execução acelerada. A solução tem sido terceirizar o planejamento e/ou a gestão para especialistas com experiência comprovada.

  8. A nuvem veio para ficar – A tecnologia na nuvem cresceu em importância na estratégia de tecnologia de gerenciamento de projetos das organizações.

  9. Soluções PPM customizadas ​​– Com a maturidade das organizações no que se refere à adoção de uma cultura de projetos, estas passaram a necessitar de ferramentas PPM (Project Portfolio Management) que possam se adaptar aos seus processos de negócio e permitir uma maior integração com outras áreas da empresa. Um dos motivos para essa adaptação ocorre devido à maioria das ferramentas serem baseadas nos métodos tradicionais de gerenciamento de projetos, enquanto muitas organizações estão implantando métodos ágeis ou híbridos.

  10. Melhoria da visibilidade dos projetos para Executivos – Com melhor tecnologia de gerenciamento de projetos, mais informações sobre os projetos se tornaram disponíveis para que os executivos tenham uma melhor compreensão sobre como os projetos impactam seus negócios.

Esses tópicos continuam sendo tendência para 2016. Vamos acompanhar.

Artigos Relacionados